Resenha de Swag, Cambria Hebert
Resenha de Séries: Eyewitness
Resenha de Seduzida Por Um Guerreiro Escocês, Maya Banks




4 de setembro de 2014

Opinião de Uma Leitora: Eu Te Quero, Irene Cao


Eu Te Quero (Dei Sensi #3)
Autora: Irene Cao
Gênero: Romance/erótico
Editora: Suma de Letras
Páginas: 166
Sinopse: Elena perdeu tudo. Os dois homens mais importantes de sua vida. A alegria do trabalho bem-feito. O carinho e a segurança com Filippo e a paixão e o sexo arrebatador vividos com Leonardo. Seus dias são uma descida ao inferno. Nada parece ter sentido, nem mesmo o mundo da arte ao qual se dedicava tanto. Toda noite vai a boates, bebe demais e acaba saindo com um homem diferente, mas nunca encontra o prazer que sentia com Leonardo – seu corpo não reage e o desespero a domina.
Em Eu Te Quero, a vida de Elena mudará de forma inesperada. Em uma manhã, o destino fará com que acorde ao lado de Leonardo sem entender o que está acontecendo. Entre o sonho e a realidade, ela terá de decidir mais uma vez que caminho seguir e se um futuro junto a seu amado ainda é possível. O que significa o convite tão especial do homem que não conseguiu esquecer? Ela decide se arriscar em um tudo ou nada. Mas o passado é um demônio que Leonardo não conseguiu vencer... e o último perigo pode ser fatal.
No volume final da trilogia italiana, continuação de Eu Te Vejo e Eu Te Sinto, Leonardo e Elena precisam vencer as lembranças do passado para viver um grande amor.

1. O que achou do livro?

Essa série foi um presente muito lindo, jamais me cansarei de elogiá-la.
O terceiro e último livro da trilogia Dei Sensi, de Irene Cao, reconstrói o amor com os destroços de dois corações partidos e ligados eternamente. O gancho do segundo livro dá ao início de "Eu Te Quero", o reverso do que a mocinha que Elena era nos mostraria; no lugar de choro ser fim pela perda do homem da sua vida, Elena opta pela auto destruição. Tendo tudo arrancado de si, o amor por si e por outras pessoas, a sensibilidade, a motivação para trabalhar e até mesmo seus orgasmos, a mocinha se perde entre inúmeros deconhecidos, tentando neles encontrar a si novamente. Porém, somente quando um inimigo acaba por dar uma mãozinha em seu destino, Elena volta a encontrar Leonardo, que lhe dá mais do que esperava, seu amor e uma terceira (é isso mesmo pessoal) chance para a necessidade que os une. 
Esse livro foi do tipo "faltam páginas demais para eles continuarem felizes assim". Tudo são flores, ilhas paradisíacas e noites de amor, mas o sinal de alerta que nós, leitores, desenvolvemos para desastres não para de tocar. A inversão de cenário da cidade de Roma para a ilha de Stromboli é revitalizante, espalhando amor e momentos e corar pelas páginas. Finalmente conhecemos tudo o que se pode sobre Leonardo, sua infância difícil, a origem de suas paixões e de seu relacionamento com Lucrezia. Elena se perde na felicidade, finalmente livre para consturir uma vida em casal, mas paraíso é clichê e uma reviravolta a deixa a frente de dois caminhos interessantes: se conciliar com quem só lhe queria mal ou se livrar desse alguém para sempre. 
O universo conspira a favor dos apaixonados e após a descoberta da luxúria em um homem limitado apenas a ela, uma paixão inacessível, declarações de amor, perdas dolorosas, drinks e noites devassas e ser do bem ou do mal, Elena finalmente conheceu o seu final feliz. Uma das cenas mais bonitas do livro, para arrematar uma série já tão encorpada e bem escrita, que pode ser considerada uma obra de arte.
Páginas amareladas, fonte em tamanho confortável e capa linda como as dos dois primeiros livros da série. A Suma só pode arrasar mais do que isso, se trouxer mais livros da Irene Cao para o Brasil #oremos

2. Ponto alto

A falta de ciúme de Elena para com Lucrézia. Toda mocinha agarra seu homem com unhas e dentes e é só uma rival chegar para a tensão aumentar, porém, Elena entendeu que Lucrézia não é só uma ex na vida de Leonardo, é alguém instável que precisará sempre do suporte da única pessoa que amou na vida. Esse entendimento, essa confiança, valeu mais do que qualquer declaração de amor quente entre os dois. Foi o elo desse amor. Super bacana a autora corta a baboseira clichê e inovar em um instante tão sutil.

"Sua mão, agora, procura a minha, largada sobre o lençol. O contato com sua pele me provoca um leve estremecimento. 
- Você sempre esteve dentro de mim, Elena. Só que entendi isso tarde demais. 
O coração começa a bater no peito como um doido. Me deixe sair daqui! Está gritando. Isso é demais! Eu quero ir embora!
- Pois é... Tarde demais - repito, com um nó na garganta, convocando todas as motivações que me levaram a odiar esse homem e a desejar que sumisse da minha vida".

3. Ponto Baixo

A coisa toda com Martino. Por mais que a Irene Cao tenha desatado palavras bonitas para acalmar a cena, eu achei de uam falta de sensibilidade por parte da Elena. O garoto a tinha como o ideal de mulher mais velha, talentosa e linda, que qualquer cara quer e ela dá corda para isso, chegando as vias de fato, mesmo ainda com suas limitações sexuais. Fiquei chateada, acho que o Martino merecia mais do que isso.

4. Qual o seu personagem favorito?

Adeus a boa moça e bem vinda a mulher que sabe o que quer! Apesar da eclamação acima, a Elena foi faca na bota nesse livro. Devastada, não correu de braços abertos para Leonardo quando este apareceu, exigiu saber mais sobre ele e finalmente, teve coragem para peitar suas brincadeiras e provocações. O Leo criou um "monstro" dos lençóis e finalmente teve que lidar com o desejo feroz que desencadeou em sua mulher. Morri de sunga branca com a (vou falar logo) falta de vergonha da Elena e a cara de tacho e de "eu amo essa mulher" do Leonardo. Ela queria o homem, foi atrás. Precisou ser mais resistente e curiosa para mantê-lo e lacrou. Girl power lindo de se ver.

"Eu queria abraçá-lo, livrá-lo daquela aflição mas não sei como: ele guarda para si todas as emoções e, principalmente, me mantém distante. Por isso tenho medo: se ele me afastar, poderia perdê-lo de novo. Mas tenho que ser forte, sem me entregar a dúvidas e egoísmos estúpidos em que às vezes escorrego. Existem outras prioridades, para mim, agora: Leonardo precisa de um refúgio em que possa encontrar abrigo de si mesmo e de sua dor. E esse lugar sou eu".

5. Qual elogio e/ou crítica daria a autora

Seus livros são tão ricos! Nos sentimentos, no sexo, nos cenários, em cada detalhe da trama, que a única coisa que me resta dizer é que eu finalmente descobri a definição de "erótico", em cada linha desse livro. Com os sabores das receitas de Leonardo, as pinturas e esculturas sob uma interpretação nova e instigante e mesmo o sofrimento, o verdadeiro potencializador dessa leitura. A magia e sedução estão por todo o texto e terminar essa trilogia foi como acordar de um sonho, querendo que este fosse realidade. Continue escrevendo tão bem assim, sobre seu país, sua cultura, seus trejeitos e sobre esses cantinhos escuros do amor, onde se escondem as verdadeiras surpresas.

6. Nota: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

7. Deixe um recado para os futuros leitores desse livro

Quer uma trilogia arrasadora? Não tente aleatórias, leia Dei Sensi. 

"Fora do quarto, encontro Leonardo me esperando. Está em pé, encostado no corrimão, o olhar intenso e os lábios esboçando um sorriso, como se já soubesse o que aconteceu. 
Abre os braços e eu deslizo em sua direção, abandonando-me em sua peito. Finalmente posso chorar, e sõa lágrimas de angústia e alívio ao mesmo tempo.
Acabou tudo. A nossa vida agora pode começar".

Beijos!
Aline, Uma Leitora

1 comentários:

  1. Oi Aline...... eu to maluca pra ler esse livro e lendo suas resenhas fico com mais vontade ainda...
    Parabéns pelo blog e por nos dar uma dimensão tão legal do que ler...

    Abçs
    Ana Paula
    http<//paixaoporleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir

 
♥ Theme por Yara Lima, do Dear Maidy, exclusivo para Romantic lit © 2015 • Todos os direitos reservados • Topo