Resenha de Swag, Cambria Hebert
Resenha de Séries: Eyewitness
Resenha de Seduzida Por Um Guerreiro Escocês, Maya Banks




21 de março de 2016

Resenha: Pecado Sombrio, de Christine Feehan

Pecado Sombrio (Os Cárpatos #3)
Autora: Christine Feehan
Gênero: Romance paranormal
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 405
Sinopse: Alexandria Houton e seu irmãozinho órfão se deparam com um terrível mal em meio às brumas da agitada San Francisco, até que surge Aidan Savage, um ser dourado saído das sombras, mais sexy e misterioso que qualquer outra criatura da noite. É ele, um Cárpato macho e centenário, quem os arranca do destino medonho que os aguardava. Mas seria Aidan um milagre… ou um monstro? Alexandria se vê tomada por uma paixão avassaladora, capaz de desafiá-la a explorar um lado desconhecido, extremamente sensual – e perigoso. O que ele oferece parece seguro, sedutor e prazeroso... Se ela se render ao desejo selvagem de Aidan e lhe der a luz pela qual ele tanto anseia seria realmente possível que ele salvasse o seu irmão?


Clique AQUI para ler a resenha de Príncipe Sombrio (#1) e AQUI para a resenha de Desejo Sombrio (#2).

Pecado Sombrio é o terceiro volume da série Os Cárpatos, que narra a estória de guerreiros de uma raça que se assemelha bastante aos vampiros (como nós os conhecemos), mas com ligações a natureza e regras específicas que os impedem de cair no caminho sem volta do mal.
Nesse volume, a Christine Feehan contou a primeira estória da série com um dos guerreiros que vive fora das montanhas Cárpato, a terra natal da raça, na Romênia e usou São Francisco como cenário da paixão além da coerência entre o guerreiro Aidan Savage e a humana Alexandria Huston.

Em comparação com os dois primeiros volumes, eu achei que Pecado Sombrio não teve nada de muito espetacular em seu enredo. Os Cárpatos estão passando por uma fase de fêmeas inférteis na raça e altas baixas graças ao sucesso dos vampiros inimigos. Porém, após descoberto que algumas fêmeas humanas com habilidades excepcionais conseguem suportar a transformação de espécie, a raça do bem e do mal lutam com unhas e dentes para clamá-las, antes que a sede de sangue roube suas cores e sensações e os transforme no inimigo.

'' Uma parte de mim é um animal selvagem, um caçador, uma maquina assassina muito eficiente... Acho que é isso que está nos seus pensamentos. E é verdade algumas vezes. Mas não é o caso com você. Um macho Cárpato é responsável pela proteção, pela saúde e pela felicidade de sua parceira. Eu sou a escuridão para a sua luz. Você traz a compaixão e bondade dentro de mim.''

Acontece que a estrutura do livro inteiro girou em torno dos ataques de um pequeno grupo de vampiros que fugiram das montanhas Cárpato e desembarcaram em São Francisco atrás de uma das fêmeas localizadas, que é a nossa protagonista, Alex. E quando Aidan resgata Alex e seu irmão, Joshua e está decidido a convencer Alex de que eles estão destinados a ficarem juntos, o que eu esperava que fosse um romance emocionante e compartilhado igualmente entre os dois lados, acabou se revelando no Aiden sendo extremamente possessivo e muitas vezes deixando a Alex sem alternativa que não fossem aceitar as decisões dele. Grande parte porque a segurança de seu irmão estava em jogo e como ele era tudo o que ela tinha e Aiden era o único que poderia ajudá-la, Alex brigava e esperneava, mas acabava acatando a muitas de suas ordens (disfarçadas de pedidos). A questão do "é para o seu bem", que eu não posso começar a apontar como um desagrado agora, já que é característico dos Cárpatos (e que eu achei que me acostumaria durante a leitura da série) ficou mais forçada e me chateou durante a leitura. Outros pontos que eu já tinha citado na resenha dos dois primeiros livros como a repetição da descrição "veludo negro" também contribuíram para diminuir as minhas expectativas durante a leitura.
Tirando poucos trechos que deixam ganchos para o próximo livro e inserem um pouco do fardo que os guerreiros Cárpatos carregam, o que adicionou emoções externas e diferentes das quais Aiden e Alex viviam em seu relacionamento, Pecado Sombrio foi um volume bastante tranquilão e infelizmente, não grudou na minha cabeça como os outros volumes.

'' - O seu corpo e o meu fizeram a escolha por nós. Sua alma é a outra metade da minha alma. Meu coração é seu coração. Nossas mentes buscam conforto e intimidade uma com a outra. Nós não somos completos quando estamos sozinhos. Somos duas metades de um mesmo inteiro. Essa é a verdade, Alexandria, quer você goste dela ou não.''

A Christine continua escrevendo romances escaldantes e comoventes e esse não foi diferente. Nos trechos mais tranquilos, o casal de completos opostos concorda no desejo que sentem um pelo outro como uma trégua e nessa hora a possessividade (nada acuadora) é destruidora!
Pecado Sombrio foi uma estória legal, com romance de qualidade, mas que se não estivesse inserida em uma série tão baphonica, poderia facilmente passar despercebida. E não sei se foi por causa da minha expectativa para a publicação do quarto livro da série, que contará a estória de Gregory e Savannah ou o que, mas senti que esse volume foi até um "abaixa fogo" para o romance de parar quarteirões que está por vir.

Se você acompanha a série é bom ler, porque os livros não são únicos e não dá para saber até onde os acontecimentos desse influenciarão no desenrolar dos próximos livros. E se você está começando agora, não desanime! A série Os Cárpatos continua sendo uma das minhas favoritas! E o Aidan e a Alexandria merecem o seu veredito.

Avaliação: ★★,5 (porque não tem meia estrela HUEHUE)

Beijos!
Aline Azevedo

0 comentários:

Postar um comentário

 
♥ Theme por Yara Lima, do Dear Maidy, exclusivo para Romantic lit © 2015 • Todos os direitos reservados • Topo