Resenha de Swag, Cambria Hebert
Resenha de Séries: Eyewitness
Resenha de Seduzida Por Um Guerreiro Escocês, Maya Banks




17 de fevereiro de 2014

Opinião de Uma Leitora: Morra Por Mim, de Amy Plum



Morra Por Mim
Autora: Amy Plum
Gênero: Young adult/paranormal
Editora: Farol Literário
Páginas: 419

Sinopse: Depois que seus pais morrem em um acidente de carro, Kate e sua irmã, Georgia, vão morar com os avós em Paris. Enquanto Georgia encontra na balada a cura para sua tristeza, Kate é mais introspectiva e se recusa a sair e se divertir, até resolver ir para um café com seus livros para tomar um pouco de sol. Ela conhece Vincent, um belo e misterioso garoto parisiense. Ao se relacionar com o menino e descobrir sua história, Kate tem que escolher entre deixar sua paixão de lado e seguir a vida em segurança, e assumir seus sentimentos e toda a complicação que seria namorar alguém imortal e com inimigos, e mudar para sempre sua vida.


"Eu sabia que existia algo diferente em Vincent. Eu tinha sentido isso, mesmo antes de ver sua foto no obituário. Era algo distante de mim, e muito obscuro para eu conseguir entender. Então eu ignorei. Mas agora vou descobrir quem ele é.



Kate é uma jovem americana que acaba de sofrer uma perda inestimável em sua família. Desolada e sem rumo, juntamente com sua irmã Georgia é forçada a abandonar o único lar que conhecia, e mudar a casa de seus avôs em Paris. Tentando conter a dor que a domina, Kate se foca no que mais gosta de fazer, deixando suas obrigações um pouco de lado e passeando por Paris, revisitando lugares que conheceu com seus pais e tentando ali, em meio a muita cultura, retomar as rédeas de sua vida. Em uma dessas escapadinhas da realidade, a garota conhece Vincent, um belo francês, atraente como nenhum outro e o atrito incial só a faz ficar ainda mais fascinada com seu cavalheirismo. Desde então, Kate vai sempre ao mesmo café, esperando encontrá-lo na mesa onde ele sentou da primeira vez, na companhia de seus amigos igualmente belos e interessantes, mas ele não volta a aparecer. Insistindo em querer revê-lo, Kate é salva por um casal de irmãos segundos antes de um acidente que poderia lhe custar a vida e que eles misteriosamente sabiam que aconteceria antes de acontecer. Chocada, Kate vê Vincent se reaproximar e a apresentar um mundo completamente novo, onde seres sobrenaturais vagam tranquilamente entre os humanos, protegendo-os de uma ameaça maligna muito maior do que qualquer um poderia prever. Diante dessa descarga de periculosidade e de uma paixão que nem mesmo o estranhismo inicial conseguiu abrasar, a garota terá que decidir entre proteger o que restou de sua família ou lançá-los todos em uma guerra poderosa em que humanos eram a isca e Vincent, seu primeiro grande amor, o alvo.

1. O que achou do livro?

Delícia pura! Primeiramente vamos falar da inovação na raça Revenant, porque né? Inovação em raças sobrenaturais nos dias de hoje está mais difícil do que chuva em São Paulo (piada sem graça, mas verídica). Felizmente, nas minhas últimas leituras sobrenaturais eu tenho me surpreendido positivamente com essas novidades, que dão aquele toque rejuvenescedor a um gênero que vem sendo atolado de cópias. A Amy Plum arrasou na sutilidade do relacionamento entre o Vincent Delacroix (novo book boyfried) e de Kate, dirigindo o romance para uma pegada quase Jane Austenana (?) e pegou firme na ação, arrasando com um lado negro da força quase tão atraente e fabuloso quando o lado da luz e nos dividindo entre amar mais o romance ou a loucura em que Kate se meteu ao se perder no cavalheirismo e beleza de Vince. Além de tudo isso que já prato cheio para o leitor, os personagens coadjuvantes, nesse caso, o restante da raça de Revenants em Paris é quase tão apaixonante quanto os personagens principais, sempre presentes em suas roupas de couro duronas e lutando para manter Kate e Georgia, sua irmã a salvo e para tornar um dos únicos amores da vida de Vincent possível. Adorei a maneira jovem ansiosa vem cá, que Kate introduziu na calmaria do romance, os amores platônicos entre a raça e a dificuldade desses seres do além encontrarem seu grande amor. O cenário é belíssimo, a narrativa tão fluída e íntima, que te faz enxergar cada ponto descrito com facilidade, me embasbacando ainda mais. Toda a luta entre o bem e o mal situada em uma das cidades mais belas e românticas do mundo? Deu amor profundo! Morra Por Mim deslizou com maestria para a minha lista de melhores leituras!
A Farol Literário foi fabulosa na diagramação. Tudo perfeito, fonte de tamanho confortável (porque eu sou cega), e adornos lindos no início de cada capítulo. A capa original foi mantida, o que eu prefiro, do que arriscar uma novidade e ficar ruim (nesse quesito, inovação é perigosa, sou super tradicional).
A série Revenants ganhou meu coração com facilidade, mal posso esperar para o segundo livro!

2. Ponto alto

Incrível a maneira como a Kate aceita tudo de diferente (estranho, assustador) sobre Vincent e sua raça. Com perdas recentes em sua família e a auto preservação lá no topo, a personagem foi contra o fluxo, se permitindo arriscar tudo o de mais precioso em sua vida, tudo o que o destino não tinha conseguido tomar dela, para viver seu primeiro e grande amor. Isso não é tão diferente, vemos em muitos livros, mas Kate não é uma mocinha sonsa, que está sem fazer nada da vida e encontra o cara sobrenatural e sensual que arrebatará seu coração. Ela sofreu uma barra violenta, foi arrancada de sua zona de conforto e no meio do furacão, mais um desafio se apresenta. Ficar ou não com o cara que ganhou seu coração, mas que pode colocar o restante de seus amados em perigo? 

"Mamãe dizia que no fundo eu era uma escapista. Que eu preferia mundos imaginários ao verdadeiro. É verdade que para mim sempre foi fácil me libertar desse mundo e mergulhar em outros. E eu me sentia pronta para uma relaxante sessão de hipnose artística". (Pág. 48)

3. Ponto baixo

Eu não gostava muito da Georgia no início do livro. A personalidade sonsa que não era de Kate, era de sua irmã e eu sabia que renderia problemas futuros, todavia, aqui estou eu me redimindo. Apesar de não ter tido um papel tão grande no livro, Georgia se provou guerreira e companheira de sua irmã e até estou querendo conhecer mais sobre ela.

4. Qual o seu personagem favorito?

Bem, eu não sou do tipo que curte em leituras, caras estilo Mr. Darcy. O Vincent é um personagem intenso, de arrancar suspiros, mas o Jules é aquele tipo, WOW. Lindo, pintor, sempre preocupado com o bem estar de seus colegas e tem um segredinho que torna a sua participação no livro ainda mais legal. Nunca poderia deixar de fora o Ambrose. O tipo de negrão engraçado que nos arranca risadas e suspiros contínuos! 

"Nossas peles mal se encostaram. Ele estava hesitante, como se soubesse o que queria mas tivesse medo de me assustar. Nossos lábios se tocaram, e foi como se uma corda tivesse sido dedilhada dentro de mim, fazendo meu corpo ressoar com uma nota musical límpida". (Pág. 184)

5. Qual crítica e/ou elogio daria a autora?

Obrigada por não levar essa estória para o lado que ela apontava! Fiquei super aflita que um livro tão bom pudesse perder a graça por um desfecho ruim e graças aos céus não em decepcionei. Quem lê a sinopse de Morra Por Mim pode ter uma ideia diferente do que o livro realmente é, no meu caso, a surpresa foi bem vinda! 

A porção de tempo e pesquisa que tenho certeza que a Amy passou para criar os Revenants e os Numa valeu super a pena. Nada repetitivo, tudo bastante empolgante! Foi uma delícia me sentir redescobrindo raças sobrenaturais e não lendo sempre sobre as mesmas.
Toda uma porção de cultura permeia a leitura. Kate é uma ávida leitora, fanática por artes e com gostos semelhantes, o casal apresenta Paris com o roteiro mais romântico e artístico de todos.

6. Nota: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

7. Deixe um recado para os futuros leitores desse livro

Não tem como uma leitor fã de romances sobrenaturais não se deleitar com essa joia de Amy Plum. Beirando sempre o delicado e o perigoso, surpreendendo a cada página e deixando gostinho de quero mais. Não um dos quentes, mas o romance e a necessidade de Vincent e Kate sem dúvidas irão aquecer seus corações.

"O que é melhor, pensei, estar em segurança e sofrer sozinha ou arriscar a sentir a dor e viver de verdade? Embora minha cabeça e meu coração estivessem me conduzindo em duas direções diferentes, eu tinha certeza que não queria que minha vida continuasse sendo o que tinha sido nas duas últimas semanas: uma existência insossa, sem cor, calor ou vida. (Pág. 270)


"Revenants" é uma trilogia, entretanto conta com o conto digital "Die For Her", que fica entre o segundo e terceiro livro, sobre o personagem Jules e a paixão proibida que foi apresentado no início da série (quem já leu deve saber qual é e deve estar morto com farofa assim como eu aqui). "Until I Die", segundo livro da trilogia tem previsão de lançamento para o primeiro semestre desse ano aqui no Brasil, segundo a Farol Literário. 


Beijos!
Aline, Uma Leitora

1 comentários:

  1. Também achei delícia pura!!
    Tudo delícia mesmo, diagramação, capa, história, personagem.. e sua resenha tá delícia também!!

    Adorei!!

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
♥ Theme por Yara Lima, do Dear Maidy, exclusivo para Romantic lit © 2015 • Todos os direitos reservados • Topo