Resenha de Melhor que Chocolate, Laura Florand
CampNaNoWriMo 2015: outra competição, dessa vez de escrita
The Wattys: a competição anual do Wattpad




1 de fevereiro de 2014

Opinião de Uma Leitora: Desejo Sombrio, de Christine Feehan


Desejo Sombrio (Os Cárpatos #2)
Autor: Christine Feehan
Gênero: Romance paranormal
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 422
Resenha de Príncipe Sombrio (Os Cárpatos #1)

Sinopse: Jacques Dubrinsky, irmão do príncipe dos Cárpatos, foi capturado, cruelmente torturado e enterrado vivo. Durante sete anos, preso naquele buraco, alimentando-se do sangue de ratos, somente uma coisa o mantinha vivo: o desejo de vingança. Havia um traidor. E ele descobriria quem era. O tempo já não significava mais nada. Ninguém sabia da sua existência. Até que ele sentiu a presença de uma mulher misteriosa e sensual em sua mente. Depois de tantos anos, um contato... Quem era ela? Seria ela a traidora?


Em "Desejo Sombrio", segundo livro da série "Os Cárpatos", acompanhamos a história intensa e sensual de Jacques Dubrinski, irmão do príncipe da raça e que após ser atacado por caçadores humanos, é sequestado, torturado e deixado para morrer por esses. Este objetivo teria sido alcançado se uma mente próxima a sua, a qual ele se agarrou como numa tábua de salvação, não o tivesse mantido são e determinado a encontrar um jeito de escapar e se vingar dessa mulher cruel, de seus comparsas humanos e do traidor que descobriu existir entre os Cárpatos.
E Shea O'Halloran que é cirurgiã e apesar de sua profissão a manter sempre próxima de outras pessoas, prefere evitar o contato com elas. A ruiva vem sendo caçada desde seu nascimento, graças a uma mutação em seu sangue, essa, que vem tentando desvendar desde que sua mãe se suicidou e a deixou sozinha. Com o passar do tempo os sintomas da doença que imagina ter só aumentam e em sua mente, uma voz se comunica com ela, enviando dor, ameaças e imagens de um belo e ferido homem. Em meio a sua fuga, Shea acaba por parar nas montanhas Cárpato, na Romênia e inconscientemente seguindo a voz, descobre o corpo de um homem destroçado e selvagem, o mesmo de sua mente. 
Em meio ao desejo de descobrir mais sobre sua doença e como se curar dela e sobre o pai que a abandonou, Shea se arrisca atrás de respostas, cuidando do homem selvagem e resistindo a suas investidas violentas. Até que o inevitável acaba por acontecer. Ela se vê presa a Jacques Dubrinski de uma maneira sobre humana, além de descobrir que não pertence a uma das únicas raças que imaginava existir.

1. O que achou do livro?

Foi um dos bons! Fico feliz que ele tenha sido escrito. No início de Desejo Sombrio, contamos com um depoimento da autora, Christine Feehan, relatando que não pretendia escrever sobre Jacques e sim, pular para o livro de Gregory. Mas que este personagem não a deixava em paz, exigindo ter sua história contada e assim ela o fez. Diferente de Príncipe Sombrio, o primeiro livro da série, nesse a intensidade sexual é jogada para escanteio por um tempo e nos deparamos com a potência de um homem ferido, traído por sua própria raça, que teve suas memórias estilhaças graças há 7 anos de tortura e que mal consegue se proteger e se vê forçado a proteger a mulher que ama. Ódio, selvageria, descontrole e vingança são as palavras chave para descrever a primeira metade do livro. Uma grande introdução a raça precisa ser feita, graças a personagem Shea, que nada sabe sobre ela, o que torna grande parte do livro, uma introdução ao romance do casal. Conforme a melhora de Jacques e o entendimento de sua companheira sobre os Cárpatos, a narrativa volta a caliência e potência natural da escrita de Christine. Considerei sendo melhor do que o primeiro livro, mesmo com a grande explicação, porque não houveram tantas cenas de sexo. Entre Mikhail e Raven eu contei sete cenas, o que acaba deixando a relação entre o casal desgastante e irrelevante. As repetições da Christine continuam, o "veludo negro" persiste, mas creio que seja algo que ela adotou para todos os 26 livros da série, então fazer o que! Desejo Sombrio foi centrado, foi educativo (sobre a raça) e ardente. Tudo na medida certa, equilibrado e me arrancando gritos de ódio e susto e suspiros de alegria sem em nenhum momento me deixar com tédio ou chateada. Essa é uma série que merece ser conferida por quem gosta de romances sobrenaturais e ser muito amada!

2. Ponto alto

O jogo mental que Rand fez com Shea. Até mesmo eu, que tinha prestado atenção em tim tim, por tim tim do livro fiquei super confusa e desconfiada. Tudo apontava para ser verdade, mas aquele sentimento que você tem de que o personagem é bom e inocente acaba te jogando em um conflito alucinante. Boa jogada, Christine!
E não posso deixar de falar do amor puro e cristalino que foi o cuidado de Gregory com o bebê de Mikhail e Raven. Socorro, Deus! Muito lindo e comovente e só me fez amar mais o Gregory e a saga e aguardar ansiosamente pelo lançamento do livro dele aqui no Brasil.

"Ninguém tinha o direito de ter os olhos como os dele. Olhos famintos. Olhos que ostentavam fogo e promessas de paixão". (Pág. 104)

3. Ponto baixo

Os que me incomodaram são características dos personagens, que persistem. Como a hesitação das "companheiras", a super proteção, etc. Os personagens principais do livro estarem sempre feridos e fracos desacelerou os acontecimentos, o que foi um pouco preocupante, mas nada que estragasse a leitura.

4. Qual o seu personagem favorito?

Com licença, protagonistas! Mais uma vez o meu personagem do coração da série os Cárpatos é o curandeiro e guerreiro da raça, Gregory, o sombrio. Ele é uma estátua, com coração de pedra, alma gélida e uma mente cheia apenas de ensinamentos e estratégias. Isso, até ficar sabendo que sua companheira está chegando ao mundo e virar uma pocinha de amor! A transformação de Gregory nesse livro foi gritante, o verdadeiro extremo do que consegui conhecer sobre ele e que felicidade! Mal posso esperar pelo livro dele!

"Ninguém, nada, em todos aqueles longos séculos, o havia preparado para a intensidade da emoção que ela fazia brotar dentro dele. Naquele momento, ele descobriu o que significava ser capaz de morrer por alguém". (Pág. 392)

5. Qual  o elogio e/ou crítica que daria a autora?

Elogios: Invejo a perseverança da Christine Feehan, porque uma série com 26 livros não é para a criatividade e força de vontade de qualquer um não! Nem a J.R. Ward com sua eterna Irmandade bateu essa marca. O que consegui perceber nesses dois livros da série que li, é que a autora se esforça ao máximo para variar de livro para livro, tanto em personagens quanto em enredos, para não nos deixar desmotivados e parece ter feito seu trabalho muito bem. Além de sua escrita fluída, rica e detalhada (principalmente nas cenas hot), a estrutura da raça foi bem feita, não dando espaço para lacunas e dúvidas dos leitores. Uma das séries sobrenaturais que mais gosto e que jamais abriria mão!

A cenas sensuais continuam high quality! Escrita cuidadosa, diversificada, cenários fabulosos e uma elegante sensualidade. 

Traição dentro da raça. Isso foi uma presente maravilhoso! Não pensei que fosse acontecer e que fosse tão bem feito, ao ponto de me deixar desesperada para saber o que estava acontecendo e quem era essa pessoa. E quando descobri BOOM, três tapas na minha cara, porque eu NUNCA imaginaria que fosse ela. Variação de alta qualidade no enredo!

Meio humanas com poderes paranormais! Sim, apesar da super possessividade dos machos Cárpatos com suas companheiras, elas não são reles humanas. Ou são Cárpato ou tem poderes paranormais, sendo assim, tendo muita utilidade na raça e não servindo de bibelô para seus companheiros ficarem arrastando de um lado para o outro. Vejo homens com mania de segurança, mas também vejo girl power e prezo demais protagonistas não sonsas. Mais um ponto para a série!

Críticas: Existem alguns vícios de escrita, como citei ali em cima que me fazem revirar os olhos ao decorrer da leitura, como características que parecem ser "necessárias" para todas as companheiras dos Cárpatos e a repetição de termos como "veludo negro". Creio que com o decorrer da série esses continuem se repetindo e se tornando cada vez mais chatinhos. Porém, procuro avaliar o livro por inteiro e não creio que isso afete hoje, no aproveitamento da leitura.


6. Nota: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10


7. Deixe um recado para os futuros leitores desse livro

Corra para o primeiro livro, leia, se apaixone por essa raça riquíssima, que rivaliza com a falta de criatividade dos autores ao se tratar de vampiros. Agora corra para Desejo Sombrio. Quando a insanidade e o poder se encontram um uma única pessoa e até mesmo quem ela ama acaba se tornando alvo. Sequelas e consequências que só a melhor das represálias contra o inimigo podem pagar. Um amor que afasta a escuridão do passado e apresenta o frescor do desconhecido presente. Continue a ler essa série, pessoal! Vale muito a pena!

"- Pare com isso, seu selvagem. Você não é o Tarzan. Não gosto de altura. Me coloque de volta no chão!
- Feche os olhos. Quem é Tarzan? Espero que não seja o "outro". 
[...]  - O Tarzan é o maior do homens. Ele usa cipó para se deslocar entre as árvores e leva sua mulher para dentro da floresta.
- Ele se inspirou em mim.
- Ele tenta". (Pág 273)


Beijos!
Aline, Uma Leitora

1 comentários:

  1. Oi Aline! Eu mandei um e-mail para você, com o endereço que estava no anterior. Espero que não tenha mudado o seu e-mail, mas caso tenha feito isso, me diga o atual. ;)
    Beijos, Bianca.
    http://enlear.blogpsot.com.br

    ResponderExcluir

 
♥ Theme por Yara Lima, do Dear Maidy, exclusivo para Romantic lit © 2015 • Todos os direitos reservados • Topo